terça-feira, 28 de setembro de 2010

Um péssimo dia para os democratas

Após a vitória de Christine O'Donnel nas primárias republicanas do Delaware, o que praticamente entregou aos democratas o lugar no Senado em disputa nesse estado, parecia que estava completamente tapado o possível caminho do GOP rumo ao controlo da câmara alta do Congresso americano. Porém, as últimas sondagens têm sido terrivelmente negativas para os democratas. Hoje mesmo, foram divulgados diversos resultados que fazem antever uma verdadeira hecatombe para os democratas na noite eleitoral de 2 de Novembro, com a possibilidade de perda da maioria no Senado a voltar a estar de pé.
As más notícias
Pennsylvania: Toomey (R) 49%, Sestak (D) 41% - No início da campanha, esta corrida parecia ir ser bastante equilibrada. Contudo, com o passar do tempo, o candidato republicano foi-se distanciando progressivamente. Na luta das primárias face a Arlen Specter, o democrata Joe Sestak provou ser muito forte na ponta final, mas nem isso lhe deverá permitir lutar pela vitória. Status da corrida: likely republican.
New Hampshire: Ayotte (R) 46%, Hodes (D) 32% - Apesar do grande número de indecisos, a vantagem parece ser grande demais para que Hodes possa disputar a eleição com Ayotte. Quando  se considera ser esta a melhor possibilidade que os democratas possuem para "roubar" um lugar aos republicanos, está tudo dito em relação às perspectivas do partido de Obama para este ciclo eleitoral. Status: strong republican.
Washington: Murray (D) 48%, Rossi (R) 47% - Depois de várias sondagens indicarem uma vantagem confortável para Pat Murray, esta vem colocar novas dúvidas em relação a esta corrida. Pode tratar-se de um outlier, mas é mais um motivo de preocupação para os democratas. Status: (ainda) leaning democrat.
Illinois: Kirk (R) 42%, Giannoulias (D) 40% - Continua apertada a disputa pelo lugar no Senado que pertenceu a Barack Obama. As últimas sondagens têm dado sucessivas vantagens, se bem que residuais, ao republicano Kirk. Contudo, neste caso, será a afluência às urnas a decidir o desfecho da eleição. Se os democratas conseguirem motivar o seu eleitorado, em grande maioria neste estado,  Giannoulias tornar-se-á senador. Status: toss-up.
Colorado: Buck (R) 47%, Bennet (D) 43% - A situação no Colorado parece algo estacionária, com Ken Buck a manter sucessivas vantagens, mesmo que reduzidas, nas sondagens. Bennet tem o handicap de não ter sido eleito para o Senado, mas sim nomeado. Além disso, falta-lhe carisma e à vontade para ter sucesso no trilho da campanha. Status:Toss up, mas com tendência a mudar para leaning republican. 
Ohio: Portman (R) 51%, Fisher (D) 42% - Nada de novo no Ohio, onde o candidato republicano continua bem à frente nas intenções de voto. Status: likely republican.
Wisconsin: Johnson (R) 52%, Feingold (D) 44% - Parece confirmar-se o cenário indicado pelas últimas sondagens e o senador Feingold corre mesmo sérios riscos de ser expulso do Senado americano pelos seus constituintes. Status: leaning republican. 
As péssimas notícias
West Virginia: Raese (R) 48%, Manchin (D) 46% - Inicialmente, Joe Manchin parecia imbatível e com lugar assegurado no Senado. Porém, a distância foi encurtando até que, segundo esta sondagem, o republicano Raese ultrapassou o seu opositor. Num estado que sempre torceu o nariz a Obama (desde as primárias democratas de 2008), nem mesmo o popular governador Manchin parece capaz de inverter a grande impopularidade do presidente e dos democratas. Status: toss-up.
Connecticut: Blumenthal (D) 49%, McMahon (R) 46% - Num dos estados mais liberais da União, não deixa de ser surpreendente que Blumenthal, até há pouco tempo bastante popular no Connecticut, esteja perto de ser alcançado pela sua adversária republicana. Este apertar da corrida obriga os democratas a gastarem mais recursos e fundos numa eleição que em qualquer outro ciclo eleitoral venceriam por larga margem. Porém, é ainda cedo para se afirmar que poderá estar em formação um novo upset como o que sucedeu no Massachussetts, quando Scott Brown foi eleito. Status: leaning democrat.

8 comentários:

  1. No Connecticut Blumenthal tem umA adversáriA republicanA: LINDA McMahon.

    ResponderEliminar
  2. Tem razão, Octávio, como sempre. A culpa é da hora tardia, já não funciono muito bem :)

    ResponderEliminar
  3. A Linda McMahon vai derrotar o Blumenthal numa jogada de submissao ao melhor estilo da luta livre :)

    Parece que os republicanos ja nao precisam que a Cristine O'Donnel venca para garantir o Senado.

    No entanto, acredito que a hecatombe vai ser completa e ela vai ganhar num esforco final, assim como a Carly Fiorina na California e a Sharon Angle no Nevada. As mulheres republicanas estao em grande!

    ResponderEliminar
  4. J, isso parece-me wishful thinking :)
    Duvido muito que a Linda McMahon consiga derrotar o Blumenthal que é muito conceituado e conhecido no CT. Porém, esta curta distância entre os dois já é, por si só, uma surpresa. Já nas corridas a Oeste parece-me que a Fiorina perdeu gás e que a Boxer começa a descolar nas sondagens, enquanto que a Sharron Angle e o Harry Reid estão completamente empatados.
    Pois é, aqui na Europa, só vamos saber os resultados das eleições de 2 de Novembro quando o dia 3 já for bem avançado...

    ResponderEliminar
  5. Admito que talvez me possa estar a entusiasmar um bocado.
    Mas eu penso que nao podemos olhar para as sondagens de forma estatica - ha sem duvida uma onda republicana que esta em crescendo e acredito que ainda va aumentar ate atingir o ponto maximo a 2 de Novembro.

    Lembra te da eleicao do Scott Brown - uma semana antes, estava a mais de 10 pontos atras da martha cockley. Penso que estamos a ver um padrao semelhante em varios estados nesta eleicao.

    O real clear politics ja mostra os republicanos com 40% de possibilidade de atingir os 50 senadores.

    Se nao houver ataques sujos, como ja esta acontecer com a Megan Whithman - os republicanos vao ganhar o senado.

    ResponderEliminar
  6. João, o Scott Brown ganhou vantagem sobre a Coackley nas sondagens bem antes disso.
    Mas tens razão quando dizes que estas eleições não podem ser vistas isoladas. Existe, de facto, uma tendência nacional e um entusiasmo entre o eleitorado republicano que é uma vantagem para todos os candidatos do GOP.
    Contudo, não me parece que o Senado consiga os 51 senadores que necessita para controlar o Senado. Mas talvez 50 seja o suficiente, se conseguirem atrair Joe Lieberman para a sua bancada.

    ResponderEliminar
  7. Tens razao, scott brown passou a frente mas ou menos 2 semanas antes da eleicao:
    http://en.wikipedia.org/wiki/United_States_Senate_special_election_in_Massachusetts,_2010#Polling

    Ainda estamos a mais de 5 semanas da eleicao e a tendencia e rupublicana.

    Concordo com o que dizes crelativamente ao grande joe lioberman. Mas ainda ha outros blue dos em posicao de mudar de equipa, por exemplo, Ben Nelson.

    ResponderEliminar