quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Rudy Guliani e Mike Pence para 2012?

Fugindo um pouco ao tema que domina a actualidade política americana - as eleições intercalares da próxima Terça-feira - importa também ir seguindo com alguma atenção a grande quantidade de rumores e pistas que vão surgindo relativamente ao campo de candidatos presidenciais do Partido Republicano para 2012. Os últimos dois nomes a serem lançados para a arena política e mediática foram Rudy Guliani, antigo Mayor de Nova Iorque, e Mike Pence, congressista do GOP pelo Indiana. Porém, apesar de serem dois políticos republicanos de peso, nenhum deles me parece ser um candidato viável a garantir a nomeação do seu partido para as eleições presidenciais de 2012.
Rudy Guliani, que se notabilizou pelo sua resposta aos atentados do 11 de Setembro, já em 2008 tentou chegar à Casa Branca. Durante quase todo o ano de 2007, era mesmo considerado o frontrunner da luta pela nomeação republicana. Contudo, com uma desastrosa estratégia, que consistia em apostar nas primárias da Florida, em detrimento dos tradicionais primeiros estados a irem a votos, como o Iowa, o New Hampshire ou a South Carolina, cedo Guliani ficou arredado da discussão. Mas, além disso, o "Mayor da América", como também é conhecido, mostrou sempre pouco à vontade e disponibilidade para o intenso e desgastante trilho de campanha que uma eleição presidencial exige. Assim, apesar de Rudy afirmar que "mantém a porta aberta" em relação a uma eventual candidatura em 2012, penso que Guliani não irá concorrer, não passando estas afirmações de uma forma de se manter na ribalta. E, mesmo que viesse a tentar a sua sorte, as suas posições moderadas a nível social não o favoreceriam numa época em que a ala mais conservadora do Partido Republicano tem cada vez mais influência no interior do GOP.
Mike Pence, por seu lado, é um nome bem menos familiar junto do eleitorado norte-americano. Apesar de ser um proeminente membro da Câmara dos Representantes, assumindo um cargo de liderança no interior dos congressistas republicanos, essa falta de reconhecimento a nível nacional seria difícil de superar. Aliás, apenas um membro da câmara baixa no activo foi eleito para a Casa Branca: James Garfield, em 1880. Pence, que é um conservador de linha dura e uma das principais vozes da oposição na contestação às políticas de Barack Obama, teria, então, vida muito difícil contra grandes estrelas como Sarah Palin, Mitt Romney, ou Newt Gingrich, ou mesmo frente a outros políticos menos conhecidos, mas com experiência executiva, como Tim Pawlenty, Mitch Daniels ou Haley Barbour. Assim sendo, talvez fosse mais sensato para Mike Pence candidatar-se a um cargo com maior visibilidade (Governador do Indiana, por exemplo) antes de enveredar por tão altos voos.

Sem comentários:

Publicar um comentário