quarta-feira, 29 de agosto de 2012

O primeiro dia

Começou ontem, pelo menos "a sério", a Convenção Nacional Republicana e o GOP não perdeu a oportunidade que lhes é concedida pela grande atenção mediática deste evento para "vender" a imagem do seu candidato à Casa Branca, Mitt Romney.
Terça-feira, que deveria ser o segundo da Convenção, mas que, devido ao furacão Isaac, foi, de facto, o primeiro, teve discursos para todos os gostos e com objectivos diferentes. O Senador Rand Paul dirigiu-se aos congressistas, basicamente para acalmar os apoiantes do seu pai, o candidato presidencial da facção libertária do partido, Ron Paul, e para demonstrar que a heterogeneidade do GOP é respeitada pela actual liderança. De seguida, discursou Rick Santorum, o principal adversário de Romney durante a campanha e que serviu para agradar aos republicanos mais conservadores e para atacar o registo de Barack Obama no que diz respeito às políticas do Estado social. Contudo, estes não eram os momentos mais aguardados.
Uma das maiores curiosidades do dia de ontem dizia respeito a Ann Romney e ao seu discurso. Até ao momento, a possível futura Primeira-Dama dos Estados Unidos tem estado algo ausente da campanha e há quem considere que Ann poderia ser uma mais valia para a candidatura republicana no trilho da campanha. E, ontem, a esposa de Mitt Romney pareceu dar razão a esses comentários, já que conseguiu um excelente discurso, apresentando um lado mais pessoal e humano do seu marido, o que é essencial, visto que as sondagens têm mostrado que uma das principais debilidades do nomeado republicano é a sua fraca capacidade para se "ligar" aos eleitores. No final do discurso de Ann, Mitt subiu ao palco, numa surpresa encenada.
Mais tarde, foi a vez do keynote speech, honra que este ano foi designada a Chris Christie, Governador de New Jersey. O discurso de Christie era muito antecipado pelos media e pelos delegados à Convenção. E o imponente Governador não desiludiu, apresentando uma comunicação ao seu estilo, apaixonada e vibrante, que levou ao rubro o Tampa Bay Times Forum. Christie serviu de attack dog, criticando duramente Barack Obama e os democratas. Contudo, parece-me que terá falhado, pelo menos em parte, no objectivo de "vender" a imagem de Mitt Romney aos norte-americanos, tendo demorado mais de metade do seu discurso a referir sequer o nome do nomeado republicano. Além disso, apresentou um contraste talvez demasiado forte com o discurso emotivo e sereno de Ann Romney e houve mesmo alguma contradição entre os dois discursos (Ann montou o seu discurso à volta do tema «amor», enquanto Christie disse que os americanos deveriam preferir o respeito ao amor).
 Mas, no final da noite, o resultado foi globalmente positivo para o Partido Republicano, que tem o handicap de ver a sua Convenção competir com um furacão no domínio do ciclo noticioso. Hoje, continuam os trabalhos, com a realização de muitos discursos de grandes estrelas do GOP (McCain, Pawlenty, Jeb Bush, etc.), mas o maior destaque vai para o de Paul Ryan, o candidato vice-presidencial que terá aqui o seu primeiro grande teste na campanha. Mais logo, veremos como se sai.

Vídeos dos discursos de Ann Romney e Chris Christie aqui.

Sem comentários:

Publicar um comentário