quarta-feira, 11 de agosto de 2010

A ajuda improvável

Michael Bennet com Obama
O actual clima político nos Estados Unidos tem sido entendido como extremamente favorável aos republicanos, em detrimento dos democratas, que se encontram no poder, tanto na Casa Branca, como nas duas câmaras do Congresso. Assim, têm sido antecipados grandes ganhos eleitorais nas próximas eleições legislativas de Novembro.
Contudo, o peso crescente da ala mais conservadora do Partido Republicano, com especial destaque para o Tea Party, tem atraído o GOP para a direita e isso traduz-se nas primárias do partido, onde candidatos mais conservadores têm derrotado outros que seriam mais facilmente eleitos na eleição geral. Se este facto foi observado, por exemplo, no Nevada, onde a nomeação de Sharron Angle deu um novo fôlego a Harry Reid, que até aí era visto como presumível derrotado,  ontem, nas primárias republicanas para o Senado pelo Colorado, o cenário repetiu-se, com a escolha de Ken Buck, mais um candidato alinhado com a facção mais conservadora do partido e que certamente proporcionará aos democratas a oportunidade de o caracterizarem como um radical de direita.
Por outro lado, as primárias do Colorado devem ter feito o presidente Obama e a liderança suspirarem de alívio. Aqui, ao contrário do que aconteceu na Pennsylvania e do que quase se passou no Arkansas, o vencedor das primárias foi o senador que procura a reeleição, no caso, Michael Bennet, que derrotou Andrew Romanoff, por uns surpreendentes oito pontos percentuais, numa disputa que se pensava ir ser bem mais renhida. Este resultado é o mais cómodo para o Partido Democrata, visto que uma derrota do candidato apoiado pela estrutura do partido sublinharia ainda mais o cenário anti-establishment e anti-Washington do ciclo eleitoral que se aproxima. 
Assim, apesar do actual clima político ser muito prejudicial aos democratas e de parecer certo que a economia americana não irá recuperar substancialmente até às próximas eleições, a verdade é que os previsíveis grandes ganhos eleitorais do GOP poderão ser minimizados por resultados como os do Nevada e do Colorado, onde os eleitores republicanos nomearam candidatos muito conservadores, ajudando, dessa forma, as perspectivas eleitorais dos seus opositores democratas nas eleições gerais. Assim se percebe que, num cenário eleitoral extremamente negativo para os democratas, a sua maior ajuda parece vir precisamente do lado republicano.

Sem comentários:

Publicar um comentário