terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

2012 tarda a arrancar

O primeiro momento das eleições primárias para a Presidência dos Estados Unidos está já a menos de um ano de distância, com os caucuses do Iowa agendados para 6 de Fevereiro de 2012. Nesse dia, arrancará o processo que culminará com a escolha do republicano que desafiará Barack Obama na eleição geral de Novembro seguinte. 
Por esta altura, seria de esperar que o campo de candidatos republicanos estivesse mais definido, mas apenas Herman Cain, um favorito dos Tea Party, lançou oficialmente a sua candidatura. Contudo, é de esperar que outros anúncios surjam a qualquer momento, estando apenas em suspenso, devido ao atribulado e congestionado ciclo informativo dos últimos tempos, com a tragédia no Arizona e a situação no Egipto, que "sugam" toda a atenção mediática e desaconselham grandes movimentações políticas. Em especial, potenciais candidatos menos conhecidos a nível nacional, como Tim Pawlenty, Haley Barbour ou John Thune não podem esperar muito para lançar as suas candidaturas, pois necessitam de tempo para se darem a conhecer e - mais importante ainda - para angariarem o (muito) dinheiro necessário para montar uma campanha da dimensão necessária para almejarem a nomeação pelo Partido Republicano.
Quem não sofre desse tipo de problema é Sarah Palin, que tem um nível de reconhecimento a rondar os 100% e uma grande capacidade para angariar grandes quantidades financeiras num curto espaço de tempo. Porém, a ideia de uma candidatura de Palin à presidência em 2012 começa a perder consistência, em especial depois da sua popularidade ter sofrido um rude golpe no fallout do ataque de Tucson. Em todas as sondagens que têm surgido ultimamente, a antiga Governadora do Alasca é, de todos os possíveis candidatos do GOP, aquela que piores resultados apresenta no frente-a-frente com Obama. Ao que tudo indica, a nomeação de Sarah Palin pelos republicanos colocaria automaticamente quase todos os Estados americanos em disputa e resultaria numa vitória esmagadora do actual Presidente.
Mas, por agora, Mitt Romney é o mais próximo que o Partido Republicano tem de um frontrunner, com a vantagem de ser uma figura bem conhecida do público americano, com uma imagem "presidencial", enormes recursos financeiros e a fama de gestor de sucesso. Depois de 2008, é certo que Romney vai novamente tentar a sua sorte em 2012. Outro candidato assegurado é Tim Pawlenty, da mesma forma que Newt Gingrich parece também bastante inclinado a tentar a sua sorte. Já Mike Huckabee, a grande surpresa de 2008, é ainda uma incógnita. Mas se decidir candidatar-se à Casa Branca, , o antigo Governador do Arkansas estaria muito bem posicionado para obter a nomeação do GOP, pelo menos a fazer crer pelas sondagens, que lhe são muito favoráveis. Em segundo plano estão outros potenciais candidatos, como os já citados Haley Barbour e John Thune, mas também Mitch Daniels, Rick Santorum, John Huntsman, Ron Paul, Jim de Mint ou Michele Bachmann. 
Estes e outros nomes fazem parte do vasto campo de candidatos republicanos para as primárias do início do próximo do ano. Para já, reina ainda a indefinição, mas espera-se que o pontapé de saída da campanha seja dado a qualquer momento. A partir de agora, o Máquina Política passará a dar especial atenção à corrida pela Casa Branca, com posts especiais sobre o tema a "saírem" regularmente. Estejam atentos.

Sem comentários:

Publicar um comentário