quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

A (dividida) resposta da oposição

Como sempre acontece nos discursos do State of the Union, a oposição republicana preparou a sua reacção ao conteúdo da mensagem presidencial. Contudo, este ano não houve uma, mas duas mensagens de resposta. Apesar de o establishment partidário republicano ter escolhido o congressista Paul Ryan para apresentar o discurso de resposta do GOP, os movimentos Tea Party fizeram questão de também eles reagirem oficialmente à comunicação de Barack Obama ao Congresso, escolhendo, para esse efeito, a congressista Michele Bachmann, uma favorita do Tea Party e que tem sido falada como potencial candidata presidencial.
Este tipo de discurso de resposta é sempre uma tarefa ingrata para qualquer político, dado que é bastante curto e, por comparação com a grande cerimónia que é o State of the Union, parece sempre "pequeno". Mesmo que nenhuma das duas reacções tenha sido particularmente má, como aconteceu, por exemplo, com Bobby Jindal, em 2009, a verdade é que a divisão da resposta republicana retira força e estatura à mensagem que o Partido Republicano quereria transmitir. Tanto Ryan como Bachmann optaram por focar a questão do défice e da sustentabilidade financeira do país, mas a congressista do Minnesota foi mais crítica em relação à actuação de Obama do que o seu colega do Wisconsin. Contudo, o mais contundente de todos os republicanos na noite de ontem foi mesmo o representante da Geórgia, Paul Broun, que, via twitter, afirmou que Obama não acredita na Constituição dos Estados Unidos, mas sim no socialismo.

De qualquer forma, e voltando às mensagens oficiais, aqui ficam os vídeos da dupla reacção do GOP ao discurso do State of the Union de Barack Obama:


Sem comentários:

Publicar um comentário