terça-feira, 29 de janeiro de 2013

O ocaso de Sarah Palin

O contrato de Sarah Palin com a Fox News, cadeia noticiosa de cariz conservador, terminou na passada Sexta-feira e não foi renovado, alegadamente por vontade da da antiga Governadora do Alasca e candidata vice-presidencial republicana em 2008. Assim sendo, Palin perde o seu meio de maior de exposição pública e de influência na arena política norte-americana. 
Decorridos pouco mais de quatro anos desde a entrada fulgurante em cena de Sarah Palin, que varreu como um furacão o panorama político dos Estados, a sua chama parece estar a apagar-se. De grande esperança e símbolos dos conservadores, Palin é agora uma figura praticamente marginal, mantendo a sua legião de fãs entusiastas, mas tendo uma má imagem junto da maioria dos cidadãos norte-americanos.
Com este passo, Sarah Palin dá a entender que estará pouco interessada em prosseguir a sua carreira pública. Contudo, é ainda muito cedo para decretarmos a morte política do maior fenómeno de massas que o Partido Republicano deu a conhecer aos Estados Unidos nas últimas décadas. Palin é ainda nova e tem tempo de recuperar a sua imagem pública, de forma a tornar viável uma nova candidatura a um cargo público. Aliás, manter-se afastada dos holofotes é até uma boa maneira de o conseguir, alheando-se de polémicas e preparando-se para um eventual comeback.
Seja como for, só a própria Sarah Palin saberá ao certo o que vai na sua cabeça. Nós, que vemos de forma, apenas podemos especular e desejar que este não seja o fim da carreira política da running mate  de John McCain. Até porque uma coisa é certa: goste-se ou não de Palin, a verdade é que ela não deixa ninguém indiferente.

Sem comentários:

Publicar um comentário