terça-feira, 19 de julho de 2011

Rick Perry aponta a 2012

Não é novidade para ninguém que o actual campo de candidatos republicanos à Presidência dos Estados Unidos é quase unanimemente considerado como fraco. Em especial, duas "facções" do GOP encontram-se pouco representadas pelos concorrentes já conhecidos: o establishment do partido e os sulistas. Todavia, tem vindo a ganhar consistência a hipótese de uma candidatura que seria capaz de seduzir estes dois grupos, já que Rick Perry, actual Governador do Texas, parece cada vez mais perto de entrar oficialmente na corrida.
Nos últimos dias, têm subido de tom os rumores que indicam que Perry estará próximo de se candidatar à Casa Branca, particularmente depois de o próprio ter dito a um jornal do Iowa que se sentia chamado a concorrer. Aliás, é precisamente nesse Estado (onde, recorde-se, tem lugar o primeiro momento das primárias presidenciais) que Rick Perry tem concentrado as suas abordagens preliminares com vista a uma eventual candidatura, tendo contactado vários membros proeminentes do Partido Republicano local.
Se chegar mesmo a entrar na corrida, Perry poderá ter uma palavra a dizer. É natural que contasse com fortes apoios dentro da estrutura republicana, onde o favorito Mitt Romney é visto com alguma desconfiança, enquanto que Tim Pawlenty continua a não parecer uma alternativa viável. A sua capacidade de angariar dinheiro seria apreciável, contando com a sua grande base de doadores no Texas, um Estado onde proliferam os magnatas do petróleo e que já deu aos Estados Unidos os presidentes Lyndon Johnson, George Bush e George W. Bush. Mais: o facto de ser proveniente do Sul dos Estados Unidos dar-lhe-ia uma excelente hipótese de vencer na Carolina do Sul e de conseguir um bom resultado na Super Tuesday, onde vão a votos vários Estados sulistas. Isto porque o Sul é o principal bastião do Partido Republicano e, como tal, os seus eleitores representam um grupo fundamental numas primárias do GOP. Porém, depois do colapso da campanha de Newt Gingrich, o Sul ficou sem qualquer seu representante na luta pela nomeação republicana (Ron Paul e Herman Cain são oriundos do Sul, mas não serão os nomeados), o que faria de Rick Perry o favorite son dos ex-Estados confederados.
Visto isto, fica claro que a entrada de Perry na corrida traria ainda mais emoção à disputa pela nomeação republicana e que o actual Governador do Texas seria um nome a ter em atenção pelos seus adversários. Contudo, tenho muitas dúvidas que Rick Perry fosse competitivo numa eleição geral face a Barack Obama. Um republicano do Texas seria um alvo fácil para a campanha de Obama o caracterizar como um novo Bush. Além disso, o facto de Perry ser substancialmente conservador poderia complicar a sua tarefa de apelar ao eleitorado independente, o tal que decide todas as eleições.

Sem comentários:

Publicar um comentário