terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

State of the Union 2013

Realiza-se esta noite (madrugada em Portugal) o tradicional discurso do estado da nação , ou State of the Union, com o Presidente dos Estados Unidos a deslocar-se até ao Congresso para apresentar ao órgão legislativo e aos cidadãos norte-americanos as linhas principais da sua agenda política para o ano de 2013.
Sendo o primeiro State of the Union deste segundo e último mandato de Obama na Casa Branca, espera-se que o democrata aposte num discurso assertivo e ofensivo, rompendo com a habitual tradição conciliatória e bipartidária que costuma marcar estes eventos. Fortalecido com a sua vitória de Novembro e com os actuais bons números nas sondagens, Obama quererá marcar pontos em temas onde conta ter o apoio da maioria dos norte-americanos, nomeadamente o controlo de posse de armas de fogo, a reforma da imigração e, quem sabe, o ambiente.
Contudo, Barack Obama terá de ter algum cuidado, pois se abusar da retórica partidária e acusatória em relação à oposição, pode muito bem merecer a reprovação dos milhões de telespectadores que seguirão em directo o discurso do Presidente. Assim sendo, espera-se que Obama adopte uma mensagem progressista e liberal na mesma linha do seu discurso inaugural, apostando, ao mesmo tempo, em alguns tópicos populistas, reforçando a sua intenção de melhorar as condições de vida da classe média em detrimento dos norte-americanos mais endinheirados.
Como é inevitável nestas ocasiões, o partido da oposição está em desvantagem, não contando com um púlpito da dimensão e imponência daquele que estará á disposição de Obama quando discursar no Congresso. Ainda assim, o Partido Republicano responderá à comunicação presidencial, cabendo à estrela em ascensão do GOP, o Senador Marco Rubio, a responsabilidade de rebater o discurso do Estado da Nação de Obama. Este ano, pela terceira vez consecutiva, também o Tea Party responderá ao discurso de Obama. Para o efeito, o nome escolhido por este movimento conservador foi o Senador Rand Paul.
Esta será, então, uma longa noite nos Estados Unidos, recheada de discursos importantes (com natural destaque para o de Obama) e que ditarão o futuro próximo da política norte-americana. Amanhã, como de costume, cá estarei para analisar aquilo que de mais relevante se passar na noite do State of the Union.
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário