quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

O primeiro "gate" de Chris Christie

Até ontem, Chris Christie era um dos políticos mais populares dos Estados Unidos. Reeleito no ano passado com um resultado avassalador, o Governador republicano do Estado de New Jersey era visto como o principal candidato do GOP a conseguir a noemação presidencial em 2016.
Contudo, no dia de ontem, a sua imagem pública foi profundamente abalada por um escândalo que representa o seu primeiro grande contratempo como figura política de relevo. A revelação de uma troca de emails em que um assessor próximo de Christie parece ordenar o fecho de algumas faixas de tráfego numa ponte que serve de importante meio de acesso à cidade de Fort Lee, em New Jersey, reacendeu críticas antigas, ainda que, até agora, pouco fundamentadas, dos democratas do Estado, que acusam o Governador de castigar com longas filas de trânsito as cidades de New Jersey cujos Mayors não apoiaram a sua reeleição.
Nos emails, a Deputy Chief of Staff de Christie, Bridget Kelly, diz a um agente da Polícia Portuária de New Jersey que "é altura para alguns problemas de trânsito em Forte Lee", ao que o oficial responde "entendido". E de, facto, no mês seguinte, os acessos à ponte George Washington foram condicionados por duas vezes. Nesta altura, estava-se nas vésperas das eleições para o Governo Estadual de New Jersey e Chris Christie batia-se por conseguir o maior apoio possível no seio do Partido Democrata. Curiosamente, ou não, o Mayor de Fort Lee, um democrata, não se mostrou disponível para apoiar o Governador em exercício.
A reacção a este caso, já conhecido como bridgegate, está a ser muito prejudicial para Chris Christie e tornou-se ainda mais negativa quando os serviços de emergência médica revelaram que o trânsito caótico gerado pelo encerramento de diversas faixas de rodagem levou ao atraso na resposta a quatro casos de emergência, sendo que em um dos casos a vítima, com 91 anos de idade, acabaria por falecer.
O Governador de New Jersey foi lesto a vir a público condenar as acções do membro do seu staff, ao mesmo tempo que garantiu que tudo foi feito sem o seu conhecimento. Ainda assim, as críticas não desceram de tom e à medida que se vão conhecendo pormenores, é possível que a situação de Christie piore. Nesta fase, ainda é cedo para antever qual o nível dos dados que este gate irá infligir à imagem do republicano mais popular dos Estados Unidos. Seja como for, dificilmente será este contratempo a impedir as ambições presidenciais de Chris Christie. Como bem sabemos, muitos foram os políticas que, após estarem envolvidos em escândalos (vide Bill Clinton ou mesmo Barack Obama), conseguiram chegar, ainda assim, à Casa Branca.

Sem comentários:

Publicar um comentário