quarta-feira, 6 de novembro de 2013

A mini noite eleitoral de 2013

A primeira Terça-feira de Novembro é, nos Estados Unidos, o dia tradicional para a realização de eleições. Apesar de estarmos num ano ímpar, não havendo, por isso, eleições presidenciais e/ou legislativas, decorreram, ontem, três actos eleitorais relevantes para a realidade política nacional norte-americana com os eleitores da Virginia e de New Jersey a escolherem os governos estaduais e os da cidade de New York a deslocarem-se às urnas para indicarem um novo Mayor.
A eleição no Estado da Virginia era, porventura, a corrida mais importante, por ser, à partida, a mais equilibrada e onde os dois partidos iriam apostar forte. Contudo, nas últimas semanas, o candidato democrata, Terry McAuliffe, descolou nas sondagens para uma vantagem confortável sobre o seu adversário, o republicano Ken Cuccinelli. Assim, esperava-se que, na noite eleitoral, McAuliffe alcancasse uma vitória tranquila, com uma margem de vitória na ordem dos dois dígitos. Conhecidos os resultados, verificou-se, porém, uma curtíssima margem de vitória para o candidato democrata, que derrotou Cuccinelli por menos de três pontos percentuais.
Trata-se de um resultado normal para a Vírgina, um Estado muito equilibrado politicamente nos dias de hoje, mas que surpreendeu por ir contra o momentum democrata que as sondagens vinham mostrando. Terry McAuliffe cedo ganhou vantagem devido à grande superioridade financeira com que contava (e que se acentuou pela posterior desistência do GOP nacional face aos maus resultados de Cuccinelli nas sondagens) e pelos danos que o shutdown casou à candidatura republicana. Mas, nos últimos dias, Ken Cuccinelli conseguiu recuperar algum terreno perdido, recorrendo ao ataque sistemático à reforma do sistema de saúde conhecido como Obamacare. Num Estado onde a maioria da população se opõe à reforma, o seu discurso colheu frutos e terá impedido McAuliffe de vencer por um landslide. Não obstante a curta margem de vitória, o triunfo democrata neste Estado mostra, uma vez mais, que a Virginia está, cada vez mais, a fugir do controlo republicano.
Em New Jersey não houve surpresas e o Governador Chris Christie venceu folgadamente com 60% dos votos. O resultado desta corrida era previsível e a candidata democrata, a senadora estadual Barbara Buono, nunca teve reais hipóteses de vitória, já que o Partido Democrata nunca mostrou ter intenção de disputar a eleição no Garden State. Com este triunfo, Christie passa a ser um dos principais (se não o principal) favoritos à nomeação presidencial republicana em 2016. A confirmar-se esse cenário, Chris Christie nem deverá cumprir na totalidade o mandato para o qual foi eleito na noite de ontem pela maioria dos seus constituintes.
Do outro lado do rio Hudson, em New York City, o candidato democrata, Bill de Blasio, derrotou o republicano Joe Lhota por números esclarecedores: 73,3% contra 24,,3% dos votos. Com este resultado, os democratas voltam a controlar a City Hall de New York, algo que não acontecia há 20 anos. Depois do republicano Rudy Giuliani e do independente Michael Bloomberg, ambos com uma estreita ligação ao mundo dos negócios, os cidadãos da Big Apple decidiram mudar de rumo e escolheram o perfeito desconhecido de Blasio para comandar os destinos da cidade. Com uma agenda muito liberal e progressista, o democrata terá uma árdua tarefa pela frente, já que terá de continuar o bom trabalho dos seus antecessores, no que diz respeito ao combate ao crime e à melhoria das condições de vida, ao mesmo tempo que baixa o custo de vida na cidade, tema que marcou a campanha eleitoral.

Sem comentários:

Publicar um comentário